Blog

A obtenção de um diagnóstico correto é uma das coisas mais importantes para conseguir tratamento adequado. Isso é importante para qualquer pessoa que identifique certos sintomas em si mesma, pois ela deve saber a gravidade do problema e o quão urgentemente deve encontrar ajuda. Um exemplo disso é quando alguém confunde aneurisma cerebral e AVC.

Apesar de serem problemas parecidos, eles ainda possuem causas diferentes que devem ser tratadas de formas diferentes. Caso você busque ajuda para um, pode acarretar diferentes complicações no seu quadro, tornando a situação bem mais grave e complicada. Sendo assim, poder diferenciar os dois é sempre uma boa ideia.

Para te ajudar a não cometer nenhum erro, vamos explicar melhor estes dois problemas, suas causas e sintomas e mostrar como você pode diferenciá-los com mais facilidade. Acompanhe e descubra exatamente o que precisa saber.

O que é aneurisma cerebral e quais são os sintomas?

O aneurisma é uma condição em que ocorre endurecimento dos vasos sanguíneos do cérebro, que podem sofrer uma dilatação, o que leva à formação de uma protuberância em forma de bolha. Nos casos mais graves, esse aneurisma pode estourar, o que provoca um derrame cerebral. Alguém pode ter essa condição de nascença, como resultado de trauma ou como parte do envelhecimento.

Apesar disso, uma pessoa com aneurisma pode passar anos sem nunca ter nenhum sintoma, caso o aneurisma em questão seja muito pequeno e bem controlado. Ele só se torna grave quando ocorre o rompimento do vaso sanguíneo, levando à queda da pressão sanguínea no cérebro e uma dor localizada.

O que é quais AVC são os sintomas?

O Acidente Vascular Cerebral, ou AVC, é um evento em que o fluxo sanguíneo até o cérebro é abruptamente reduzido ou interrompido, fazendo com que a pessoa sinta muita dor e provavelmente perca a consciência.

Os resultados de um AVC podem ser bem variados, de acordo com a velocidade do atendimento médico. Sem sangue oxigenado, as células cerebrais podem morrer, comprometendo certas funções, como a movimentação. Caso a pessoa fique inconsciente e caia, isso pode causar danos sérios, especialmente se ocorrer em uma escada ou outro similar.

Como diferenciar os dois?

A diferença mais clara entre os dois é que o aneurisma é uma condição física que alguém possui, enquanto o AVC é um episódio específico. Como já mencionamos, um aneurisma pode passar um bom tempo sem gerar qualquer complicação e não ser detectado até que ocorra algo grave. Em geral, esse pode ser detectado em exames de rotina.

Já o AVC, por ser mais grave e repentino, é sempre um caso de emergência médica. Em geral, é possível notar o efeito assim que ele ocorre, especialmente com sintomas como paralisia parcial do corpo. Se houver algum sinal do tipo, o ideal é levar a pessoa ao médico o quanto antes para receber tratamento de emergência, antes que a falta de oxigênio no cérebro provoque problemas mais graves.

Agora que você entende melhor a diferença entre aneurisma e AVC, pode buscar ajuda com mais facilidade. E se quiser mais dicas de saúde, siga nosso perfil no Instagram e receba tudo em primeira mão.

Publicado em Blog

Em muitos momentos, pequenas dores no corpo, especialmente na cabeça, podem ser um sinal de algo mais grave acontecendo com sua saúde. E, caso o problema continue sem tratamento, pode levar a consequências bem sérias. Esse é o caso, por exemplo, dos aneurismas, que tendem a causar várias complicações no funcionamento do corpo.

Infelizmente, muitas pessoas acabam deixando esses sintomas de lado e só buscam tratamento quando a situação está bem avançada. E se o aneurisma estiver localizado no cérebro, a taxa de mortalidade é consideravelmente alta.

Estar atento aos sinais e saber como se prevenir são dois passos fundamentais para evitar danos mais graves. Para te ajudar com isso, vamos falar um pouco mais sobre o aneurisma cerebral, suas causas e como se prevenir. Acompanhe:

O que é o aneurisma cerebral?

Um aneurisma, de forma geral, é uma dilatação anormal em um vaso sanguíneo, fazendo com que ele se expanda e forme uma bolha. Essa bola de sangue pode se formar em qualquer parte do corpo, independentemente do tipo de tecido.

O aneurisma cerebral, como o nome já diz, é aquele que ocorre no cérebro, formando uma bolha próxima ao tecido nervoso. Essa pode ficar por muito tempo sem ser detectada ou mesmo regredir, caso os fatores causadores sejam devidamente tratados. Porém, também é possível que ocorra um rompimento dessa bolha, o que leva a danos mais graves.

Se houver apenas um sangramento leve, o paciente sentirá uma dor forte de cabeça, que também causa danos ao tecido cerebral. Se houver uma ruptura completa da bolha, a dor será ainda mais intensa e pode levar à morte.

Como ela se relaciona com a hipertensão?

Você provavelmente já ligou a hipertensão ao agravamento do aneurisma cerebral. Em geral, a pressão sanguínea elevada pode levar à formação de bolhas, pois os vasos estarão mais dilatados que o normal. E com a persistência da pressão, isso pode levar ao rompimento das bolhas e danificação do tecido cerebral.

Atualmente, a hipertensão não tratada é a principal causa de aneurismas cerebrais no mundo. Se você tem problemas de pressão, então é bom ficar atento aos sintomas e procurar o médico o quanto antes.

Como é possível se prevenir?

Evitar o aneurisma cerebral é o mais importante, pois, assim que ocorrer algum rompimento, o caso já será extremamente grave. O primeiro passo, naturalmente, é se consultar com o médico e identificar se você já possui alguma bolha em desenvolvimento ou se há algum fator de risco. Isso ajudará na condução do tratamento adequado.

Tratar a hipertensão, por sua vez, é uma das melhores formas de prevenção, pois também previne outras complicações. Pressão alta pode levar a problemas cardíacos, cansaço crônico, entre outras dificuldades e problemas de saúde. Fique atento ao histórico familiar também, pois ele revela se há uma tendência a desenvolver essa condição em sua família.

Com essas informações, você já pode começar a acompanhar melhor sua saúde e ficar atento aos sinais de aneurisma cerebral em seu corpo. E se você desenvolver hipertensão, a melhor solução é começar o tratamento o mais cedo possível.

A melhor maneira de cuidar da sua saúde e manter-se longe de qualquer complicação é consultar um especialista regularmente e realizar um check-up. Entre em contato com a Neuro Instituto e marque uma consulta.

Publicado em Blog

Os dias estão cada vez mais corridos, mas antes mesmo de entrar em uma rotina é preciso fazer planos, traçar metas e, claro, incluir os cuidados com a saúde nessa lista. Não deixe para amanhã, pelo contrário, a saúde deve ser prioridade. Agende um check-up médico e viva um ano mais tranqüilo.

O check-up envolve exames regulares e específicos que são de fundamental importância para diagnosticar precocemente possíveis doenças que se instalam de forma silenciosa, como o diabetes, hepatite, osteoporose, hipertensão, alguns tipos de câncer e os aneurismas.

Neste texto, vamos destacar como tema o aneurisma, principalmente, o cerebral. Conheça mais sobre essa doença e importância de um diagnóstico precoce.

Como ocorre um aneurisma?

Os aneurismas ocorrem quando parte da parede de uma artéria enfraquece e dilata. Eles podem ocorrer em qualquer artéria do corpo: do coração, do rim, do abdômen e do cérebro. O aneurisma das artérias cerebrais é também chamado de aneurisma sacolar.

O cérebro é uma estrutura bastante complexa com um número enorme de vasos que percorrem por todo esse órgão. Ele é responsável por regular a maioria das funções do corpo inteiro, por isso, merece ainda mais atenção e cuidados.

O que é um aneurisma cerebral?

Aneurisma cerebral ou sacolar é uma dilatação anormal e permanente em um dos vasos sanguíneos do cérebro. Ele surge como um saquinho (semelhante a uma bexiga de borracha), que se forma na parede enfraquecida de uma artéria cerebral.

Na teoria, se essa dilatação for pequena, não existem grandes riscos. Mas, dilatações maiores nas artérias podem gerar problemas mais graves, caso haja um rompimento do mesmo.

A ruptura de um aneurisma provoca uma hemorragia e, de acordo com o tamanho e quantidade de sangue espalhado para dentro do crânio, será definido o grau de gravidade.

Causas

Algumas pessoas podem nascer com predisposição à formação de aneurismas, caracterizada pela fraqueza na parede da artéria. Apesar dos fatores genéticos serem apontados como causas do problema, entende-se que os fatores externos estão diretamente ligados ao seu desenvolvimento. Os mais significativos são o fumo e a hipertensão não controlada com medicamentos.

Outras condições que elevam o risco de desenvolver aneurismas são o consumo abusivo de álcool, drogas e traumatismos.

Sintomas

Normalmente, os aneurismas pequenos são assintomáticos, sendo descobertos em um exame de diagnóstico de rotina, como a tomografia computadorizada. Quando o aneurisma cresce pode comprimir uma estrutura do cérebro e provocar sintomas de acordo com a área afetada, gerando dores atrás do olho, pupilas dilatadas, visão dupla e formigamento no rosto.

Após o rompimento de um aneurisma, os sintomas aparecem de maneira mais evidente, como: dores de cabeça muito intensas e repentinas, que podem piorar com o tempo, convulsões, desmaios, náuseas e vômitos.

A intensidade dos sintomas está diretamente ligada ao tamanho do aneurisma e com a extensão do sangramento. Sendo que, sangramentos abundantes podem ser fatais.

Tratamento

O tratamento do aneurisma dependerá do tamanho, sua localização e se foi rompido ou não. O histórico do paciente e exames específicos também auxiliam na indicação de qual a melhor conduta médica.

A cirurgia é indicada, normalmente, em casos de aneurismas rompidos. Em situações de não rompimento, existe um risco muito grande de que isso ocorra durante a cirurgia. Por isso, os médicos indicam procedimentos que reduzam as chances de rompimentos futuros como o tratamento para o controle da pressão arterial e revisão de hábitos, buscando sempre promover a qualidade de vida do paciente.

Quando o aneurisma sofre uma ruptura, trata-se de uma urgência médica. É preciso ir imediatamente ao hospital para iniciar o tratamento adequado. A prontidão no atendimento do paciente pode minimizar ou evitar sequelas.

Prevenção e exames

Uma das principais características do aneurisma é a sua presença silenciosa. Portanto, o acompanhamento médico regular e a realização de exames específicos são indispensáveis para evitar conseqüências mais sérias.

A suspeita de um aneurisma cerebral pode vir do histórico do paciente, eventuais sintomas e também durante a avaliação clínica, que pode identificar anormalidades neurológicas, como o aumento da pressão dentro do crânio.

Porém, a confirmação do diagnóstico depende da realização de exames de imagem, como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética. Através deles é possível visualizar a presença da hemorragia, de coágulos, entre outros.

O diagnóstico precoce é fundamental para evitar o agravamento de doenças como essa. Faça visitas regulares ao médico neurologista, principalmente diante de histórico familiar. Além disso, check ups periódicos também são decisivos na prevenção de doenças. Não adie os cuidados com a sua saúde.

 

Publicado em Blog
MAIS LIDAS
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Echosis Marabá

Search