Blog

Os dias estão cada vez mais corridos, mas antes mesmo de entrar em uma rotina é preciso fazer planos, traçar metas e, claro, incluir os cuidados com a saúde nessa lista. Não deixe para amanhã, pelo contrário, a saúde deve ser prioridade. Agende um check-up médico e viva um ano mais tranqüilo.

O check-up envolve exames regulares e específicos que são de fundamental importância para diagnosticar precocemente possíveis doenças que se instalam de forma silenciosa, como o diabetes, hepatite, osteoporose, hipertensão, alguns tipos de câncer e os aneurismas.

Neste texto, vamos destacar como tema o aneurisma, principalmente, o cerebral. Conheça mais sobre essa doença e importância de um diagnóstico precoce.

Como ocorre um aneurisma?

Os aneurismas ocorrem quando parte da parede de uma artéria enfraquece e dilata. Eles podem ocorrer em qualquer artéria do corpo: do coração, do rim, do abdômen e do cérebro. O aneurisma das artérias cerebrais é também chamado de aneurisma sacolar.

O cérebro é uma estrutura bastante complexa com um número enorme de vasos que percorrem por todo esse órgão. Ele é responsável por regular a maioria das funções do corpo inteiro, por isso, merece ainda mais atenção e cuidados.

O que é um aneurisma cerebral?

Aneurisma cerebral ou sacolar é uma dilatação anormal e permanente em um dos vasos sanguíneos do cérebro. Ele surge como um saquinho (semelhante a uma bexiga de borracha), que se forma na parede enfraquecida de uma artéria cerebral.

Na teoria, se essa dilatação for pequena, não existem grandes riscos. Mas, dilatações maiores nas artérias podem gerar problemas mais graves, caso haja um rompimento do mesmo.

A ruptura de um aneurisma provoca uma hemorragia e, de acordo com o tamanho e quantidade de sangue espalhado para dentro do crânio, será definido o grau de gravidade.

Causas

Algumas pessoas podem nascer com predisposição à formação de aneurismas, caracterizada pela fraqueza na parede da artéria. Apesar dos fatores genéticos serem apontados como causas do problema, entende-se que os fatores externos estão diretamente ligados ao seu desenvolvimento. Os mais significativos são o fumo e a hipertensão não controlada com medicamentos.

Outras condições que elevam o risco de desenvolver aneurismas são o consumo abusivo de álcool, drogas e traumatismos.

Sintomas

Normalmente, os aneurismas pequenos são assintomáticos, sendo descobertos em um exame de diagnóstico de rotina, como a tomografia computadorizada. Quando o aneurisma cresce pode comprimir uma estrutura do cérebro e provocar sintomas de acordo com a área afetada, gerando dores atrás do olho, pupilas dilatadas, visão dupla e formigamento no rosto.

Após o rompimento de um aneurisma, os sintomas aparecem de maneira mais evidente, como: dores de cabeça muito intensas e repentinas, que podem piorar com o tempo, convulsões, desmaios, náuseas e vômitos.

A intensidade dos sintomas está diretamente ligada ao tamanho do aneurisma e com a extensão do sangramento. Sendo que, sangramentos abundantes podem ser fatais.

Tratamento

O tratamento do aneurisma dependerá do tamanho, sua localização e se foi rompido ou não. O histórico do paciente e exames específicos também auxiliam na indicação de qual a melhor conduta médica.

A cirurgia é indicada, normalmente, em casos de aneurismas rompidos. Em situações de não rompimento, existe um risco muito grande de que isso ocorra durante a cirurgia. Por isso, os médicos indicam procedimentos que reduzam as chances de rompimentos futuros como o tratamento para o controle da pressão arterial e revisão de hábitos, buscando sempre promover a qualidade de vida do paciente.

Quando o aneurisma sofre uma ruptura, trata-se de uma urgência médica. É preciso ir imediatamente ao hospital para iniciar o tratamento adequado. A prontidão no atendimento do paciente pode minimizar ou evitar sequelas.

Prevenção e exames

Uma das principais características do aneurisma é a sua presença silenciosa. Portanto, o acompanhamento médico regular e a realização de exames específicos são indispensáveis para evitar conseqüências mais sérias.

A suspeita de um aneurisma cerebral pode vir do histórico do paciente, eventuais sintomas e também durante a avaliação clínica, que pode identificar anormalidades neurológicas, como o aumento da pressão dentro do crânio.

Porém, a confirmação do diagnóstico depende da realização de exames de imagem, como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética. Através deles é possível visualizar a presença da hemorragia, de coágulos, entre outros.

O diagnóstico precoce é fundamental para evitar o agravamento de doenças como essa. Faça visitas regulares ao médico neurologista, principalmente diante de histórico familiar. Além disso, check ups periódicos também são decisivos na prevenção de doenças. Não adie os cuidados com a sua saúde.

 

Publicado em Blog
MAIS LIDAS
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Echosis Marabá

Search